Preâmbulo

Bem vindo ao mundo maravilhoso dos Sistemas de Informação Geográficas (SIG)!

Quantum GIS (QGIS) é um Sistema de Informação Geográfica de código aberto.O projeto foi concebido em Maio de 2002 e foi estabelecido como projeto em código fonte em Junho do mesmo ano. Nós trabalhamos duro para tornar o software SIG (que é tradicionalmente software proprietário e caro) numa perspectiva viável para qualquer pessoa com acesso básico num computador pessoal. O QGIS roda atualmente na maioria das plataformas Unix, Windows e Mac OS X. O QGIS é desenvolvido usando o kit de ferramentas Qt (http://qt.digia.com) e C++. Isto significa que QGIS é bom e fácil de usar e tem uma agradável interface gráfica como usuário (GUI).

QGIS pretende ser um SIG fácil de usar, fornecendo funções e feições comuns. O objetivo inicial era fornecer um visualizador de dados SIG. O QGIS atingiu o ponto em sua evolução, onde ele está sendo usado por muitos de seus dados SIG diários de necessidade de visualização. O QGIS suporta um grande número de formatos de dados raster e vetores, e ainda novos formatos podem facilmente adicionados usando a arquitetura de complementos.

QGIS é liberado sob a licença GNU General Public License (GPL). O desenvolvimento do QGIS sob esta licença significa que você pode inspecionar e modificar o código-fonte, e garante que você, nosso usuário feliz, sempre terá acesso a um programa de SIG, que é livre de custo e pode ser livremente modificado. Você deve ter recebido uma cópia completa da licença com a sua cópia do QGIS, e você também pode encontrá-la no Apêndice GNU General Public License.

Dica

Up-to-date Documentation

The latest version of this document can always be found in the documentation area of the QGIS website at http://documentation.qgis.org

Introdução ao SIG

Um Sistema e Informação Geográfica (SIG) (Mitchell 2005 Referências Bibliográficas e Web) é um conjunto de programas que permite criar, visualizar, consultar e analisar dados geoespaciais. Dados Geoespaciais se referem a informações sobre a localização geográfica de uma entidade. Isto muitas vezes envolve o uso de um sistema de coordenadas geográficas, tal como o valor de latitude e longitude. Os dados espaciais é outro termo usado, pois são: dados geográficos, dados de SIG, dados de mapas, dados de localização, dados de coordenadas e os dados de geometria espacial.

Aplicações que utilizam dados geoespaciais executam uma variedade de funções. Produção de mapas é a função mais fácil de entender de aplicações geoespaciais. Programas de mapeamento levam dados geoespaciais e tornam-os de uma forma que é visível, geralmente em uma tela de computador ou uma página impressa. Os aplicativos podem apresentar mapas estáticos (uma imagem simples) ou mapas dinâmicos que são personalizadas pela pessoa visualiza o mapa através de um programa de computador ou uma página web.

Muitas pessoas assumem erroneamente que as aplicações geoespaciais apenas produzem mapas, mas a análise de dados geoespaciais é outra função primária de aplicações geoespaciais. Alguns tipos típicos de análise incluem computação:

  1. distância entre localizações geográficas

  2. a quantidade de área (por exemplo, metros quadrados) dentro de uma determinada região geográfica

  3. Quais feições geográficas se sobrepõem outras feições

  4. A quantidade de sobreposição entre feições

  5. O número de localizações a uma certa distância da outra

  6. e assim por diante...

Isto pode parecer simplista, mas pode ser aplicado em todos os tipos de formas de várias disciplinas. Os resultados da análise podem ser mostrados em um mapa, mas muitas vezes são tabulados em um relatório para apoiar decisões de gestão.

Os fenômenos recentes de serviços baseados em localização promete apresentar todos os tipos de outros recursos, mas muitos serão baseados em uma combinação de mapas e análises. Por exemplo, você tem um celular que rastreia a sua localização geográfica. Se você tiver o programa certo, o seu telefone pode dizer quais tipos de restaurantes estão a uma curta distância. Enquanto esta é uma nova aplicação de tecnologia geoespacial, é essencialmente fazer análise de dados geoespaciais e listar os melhores resultados para você.

Por que tudo isso é tão novo?

Bem, não é. Há muitos novos dispositivos de hardware que estão possibilitando serviços geoespaciais móveis. Muitas aplicações Open Source Geospatial também estão disponíveis, mas a existência de hardware e software focada geoespacialmente não é nada de novo. Sistema de Posicionamento Global (GPS) estão se tornando comuns, mas têm sido utilizados em diversas indústrias por mais de uma década. Da mesma forma, ferramentas de trabalho de mapeamento e análise têm sido também um grande mercado comercial, focado principalmente em setores como gestão de recursos naturais.

O que é novo é a forma como o mais recente hardware e software está sendo aplicado e quem está aplicando-o. Usuários tradicionais de ferramentas de mapeamento e análise foram altamente treinados em Analise SIG ou técnicos de mapeamento digital treinados para usar CAD como ferramentas. Agora, as capacidades de processamento de PCs domésticos e pacotes Open Source Software (OSS) têm permitido um exército de amadores, profissionais, desenvolvedores web, etc, para interagir com os dados geoespaciais. A curva de aprendizado veio para baixo. Os custos caíram. A quantidade de saturação tecnológica geoespacial aumentou.

Como são armazenados dados geospaciais? Em suma, existem dois tipos de dados geoespaciais em uso difundido hoje. Isto é, além dos tradicionais dados tabulares que também é amplamente utilizados pelas aplicações geoespaciais.

Dado Raster

Um tipo de dado geoespacial é o chamado dado raster ou simplismente “um raster”. A forma mais facilmente reconhecida de dados raster é de imagens de satélite digital ou fotos aéreas. Elevação Sombreada ou modelos digitais de elevação também são normalmente representados como dados raster. Qualquer tipo de feição do mapa pode ser representada como dados raster, mas há limitações.

Um raster é uma grade regular formada por células, ou, no caso de imagens, os pixeis. Eles têm um número fixo de linhas e colunas. Cada célula tem um valor numérico e tem um determinado tamanho geográfico (por exemplo, 30x30 metros de dimensão).

Várias rasters sobrepostos são usados ​​para representar as imagens usando mais do que um valor de cor (isto é, um raster para cada conjunto de valores de vermelho, verde e azul são combinados para criar uma imagem a cores). As imagens de satélite também representa dados em várias “bandas”. Cada banda é essencialmente um raster espacialmente sobreposto separado, em que cada banda tem valores de certos comprimentos de onda de luz. Como você pode imaginar, um grande raster ocupa mais espaço de arquivo.

Um raster com células menores podem fornecer mais detalhes, mas ocupa mais espaço de arquivo. O segredo é descobrir o equilíbrio certo entre o tamanho das células para fins de armazenamento e tamanho de célula para fins de análise ou mapeamento.

Dado Vetorial

Dados vetoriais também são usados em aplicações geoespaciais. Se você ficou acordado durante as aulas de trigonometria e de geometria, você já estará familiarizado com algumas das qualidades de dados vetoriais. No seu sentido mais simples, os vetores são uma forma de descrever um local usando um conjunto de coordenadas. Cada coordenada refere-se a uma localização geográfica utilizando um sistema de valores de x e y.

Isso pode ser pensado em referência a um plano cartesiano - você sabe, os diagramas de escola que mostravam um eixo x e y. Você pode tê-los usado para traçar o declínio da poupança ou o aumento dos juros de hipoteca, mas os conceitos são essenciais para a análise de dados geoespaciais e mapeamento.

Existem várias maneiras de representar essas coordenadas geográficas, dependendo da sua finalidade. Esta é toda uma área de estudo para outro dia - projeções do mapa.

Dado vetor pode assumir três formatos, cada um progressivamente mais complexos que o anterior.

  1. Pontos - Uma coordenada simples (x y) representa localização geográfica discreta

  2. Lines - Multiple coordinates (x1 y1, x2 y2, x3 y3, ... xn yn) strung together in a certain order, like drawing a line from Point (x1 y1) to Point (x2 y2) and so on. These parts between each point are considered line segments. They have a length and the line can be said to have a direction based on the order of the points. Technically, a line is a single pair of coordinates connected together, whereas a line string is multiple lines connected together.
  3. Poligonos - Quando as linhas são amarradas juntas por mais de dois pontos, com o último ponto sendo no mesmo local do primeiro, nós chamamos isso de um polígono. Um triângulo, círculo, retângulo, etc, são todos os polígonos. A característica chave dos polígonos é que existe uma área fixa no seu interior.