9. Produção de Mapas

gentleLogo

Objetivos:

Compreender a produção de mapas para dados espaciais

Palavras chave:

Produção de um mapa, disposição dos elementos de um mapa, escala gráfica, rosa-dos-ventos, legenda, corpo do mapa, unidades do mapa

9.1. Enquadramento

Map production is the process of arranging map elements on a sheet of paper in a way that, even without many words, the average person can understand what it is all about. Maps are usually produced for presentations and reports where the audience or reader is a politician, citizen or a learner with no professional background in GIS. Because of this, a map has to be effective in communicating spatial information. Common elements of a map are the title, map body, legend, north arrow, scale bar, acknowledgement, and map border (see Fig. 9.35).

../../_images/map_elements.png

Fig. 9.35 Os elemento habituais dos mapas (anotados a vermelho) são o título, o mapa, a legenda, a seta do norte, a escala gráfica, as referências e o bordo do mapa.

Podem ser adicionados outros elementos, tais como uma grade, ou o nome da projeção do mapa (SRC). Juntos, estes elementos ajudam o leitor do mapa a interpretar a informação presente no mapa. O corpo do mapa é a parte mais importante do mapa, uma vez que contém a informação do mapa. Os outros elementos facilitam o processo de comunicação e ajudam o leitor do mapa a orientar-se a ele próprio e a compreender o assunto do mapa. Por exemplo, o título descreve o assunto e a legenda relaciona os símbolos do mapa com a informação representada.

9.2. Título em detalhe

O título do mapa é muito importante, porque geralmente é a primeira coisa para onde um leitor vai olhar num mapa. É comparável ao título num jornal. Deve ser curto, mas dar dar ao leitor uma primeira ideia daquele que representa.

9.3. Fronteira do Mapa em detalhe

The map border is a line that defines exactly the edges of the area shown on the map. When printing a map with a graticule (which we describe further down), you often find the coordinate information of the graticule lines along the border lines, as you can see in Fig. 9.36.

9.4. Legenda do mapa em detalhe

A map is a simplified representation of the real world and map symbols are used to represent real objects. Without symbols, we wouldn’t understand maps. To ensure that a person can correctly read a map, a map legend is used to provide a key to all the symbols used on the map. It is like a dictionary that allows you to understand the meaning of what the map shows. A map legend is usually shown a a little box in a corner of the map. It contains icons, each of which will represent a type of feature. For example, a house icon will show you how to identify houses on the map (see Fig. 9.36).

../../_images/map_legend.png

Fig. 9.36 Dois mapas da mesma área, ambos com um corpo de água na fundo mas com diferentes temas, simbologia e cores na legenda.

You can also use different symbols and icons in your legend to show different themes. In Fig. 9.36 you can see a map with a lake in light blue overlaid with contour lines and spot heights to show information about the terrain in that area. On the right side you see the same area with the lake in the background but this map is designed to show tourists the location of houses they can rent for their holidays. It uses brighter colours, a house icon and more descriptive and inviting words in the legend.

9.5. Seta do Norte em detalhe

A seta no norte (por vezes chamado de rosa dos ventos) é uma figura que mostra as principais direções Norte, Sul, Leste e Oeste. Num mapa é utilizado para indicar a direção do Norte.

Por exemplo, isto significa que uma casa que está localizada a norte de um lago, num mapa, esta pode ser encontrada acima do lago.

9.6. Escala em detalhe

The scale of a map, is the value of a single unit of distance on the map, representing distance in the real world. The values are shown in map units (meters, feet or degrees). The scale can be expressed in several ways, for example, in words, as a ratio or as a graphical scale bar (see Fig. 9.37).

Expressing a scale in words is a commonly used method and has the advantage of being easily understood by most map users. You can see an example of a word based scale in a Fig. 9.37 (a). Another option is the representative fraction (RF) method, where both the map distance and the ground distance in the real world are given in the same map units, as a ratio. For example, a RF value 1:25,000 means that any distance on the map is 1/25,000 th of the real distance on the ground (see Fig. 9.37 (b)). The value 25,000 in the ratio is called the scale denominator. More experienced users often prefer the representative fraction method, because it reduces confusion.

Quando uma fração representativa se expressa numa razão muito pequena, por exemplo 1:1.000.000, chama-se de mapa de escala pequena. Pelo contrário, se a razão é muito grande, por exemplo um mapa 1:50.000, é chamado de mapa de escala grande. É útil relembrar que uma mapa de escala pequena cobre uma área grande e um mapa de escala grande cobre uma área pequena.

A scale expression as a graphic or bar scale is another basic method of expressing a scale. A bar scale shows measured distances on the map. The equivalent distance in the real world is placed above as you can see in Fig. 9.37 (c).

../../_images/map_scale.png

Fig. 9.37 A escaldo do mapa pode ser expressa em palavra (a), como uma proporção (b) ou como escala gráfica (c)

Os mapas são geralmente produzidos a escalas normalizada, como por exemplo, 1:10.000, 1:25.000, 1:50.000, 1:100.000, 1:250.000 e 1:500.000. O que significa isto para o leitor do mapa? significa que se multiplicar a distância medida no mapa pelo denominador de escala, vai saber a distância no mundo real.

Por exemplo, se medirmos a distância de 100 mm num mapa com uma escala de 1:25.000, iremos calcular a distância desta forma:

100 mm x 25,000 = 2,500,000 mm

Isto significa que 100 mm no mapa é equivalente a 2500 000 mm (2 500 m) no mundo real.

Another interesting aspect of a map scale, is that the lower the map scale, the more detailed the feature information in the map will be. In Fig. 9.38, you can see an example of this. Both maps are the same size but have a different scale. The image on the left side shows more details, for example the houses south-west of the water body can be clearly identified as separate squares. In the image on the right you can only see a black clump of rectangles and you are not able to see each house clearly.

../../_images/map_scale_compare.png

Fig. 9.38 Os mapas têm uma área a duas escalas diferentes. O mapa da esquerda tem uma escala de 1:25.000. A escala do mapa à direita é 1:50.000.

9.7. Conhecimento em detalhe

Na área do mapa com os agradecimentos é possível adicionar informação importante. Por exemplo, informação sobre a qualidade dos dados usados pode ser útil para dar ao leitor uma ideia sobre os detalhes, tais como por quem e onde foi criado o mapa. Se reparar no mapa topográfico da sua localidade, pode ser útil saber quando foi criado e quem o fez. Se o mapa já tem 50 anos de idade, provavelmente vai encontrar muitas casas e estradas que já não existem, e talvez nunca tenham existido. Se souber que o mapa foi criado por uma instituição oficial, pode contactá-los e perguntar se têm uma versão atual do mapa com informação atualizada.

9.8. Grade em detalhe

A graticule is a network of lines overlain on a map to make spatial orientation easier for the reader. The lines can be used as a reference. As an example, the lines of a graticule can represent the earth’s parallels of latitude and meridians of longitude. When you want to refer to a special area on a map during your presentation or in a report you could say: ‘the houses close to latitude 26.04 / longitude -32.11 are often exposed to flooding during January and February’ (see Fig. 9.39).

../../_images/map_graticule.png

Fig. 9.39 As grades (linhas vermelhas) representam os paralelos da latitude e os meridianos da longitude da Terra. Os valores de latitude e longitude no limite do mapa podem ser utilizados para uma melhor orientação no mapa.

9.9. Nome da projeção cartográfica em detalhe

A projeção do mapa tenta representar a Terra tridimensional com todos os seus elementos como casas, estradas ou lagos numa folha de papel plana. Como pode imaginar, isto é muito difícil e mesmo após centenas de anos ainda não existe uma única projeção que possa representar a Terra na perfeição para qualquer área do globo. Cada projeção tem vantagens e desvantagens.

To be able to create maps as precisely as possible, people have studied, modified, and produced many different kinds of projections. In the end almost every country has developed its own map projection with the goal of improving the map accuracy for their territorial area (see Fig. 9.40).

../../_images/map_projection.png

Fig. 9.40 O mundo em diferentes projeções. À esquerda uma projeção de equiarial de Mollweide, e à direita uma projeção cilíndrica equidistante Plate Carree.

With this in mind, we can now understand why it makes sense to add the name of the projection on a map. It allows the reader to see quickly, if one map can be compared with another. For example, features on a map in a so-called Equal Area projection appear very different to features projected in a Cylindrical Equidistant projection (see Fig. 9.40).

A projeção cartográfica é um tópico muito complexo e não o podemos cobrir por completo aqui. Pode consultar o tópico anterior: Sistemas de Referência de Coordenadas se pretender saber mais sobre o assunto.

9.10. Problemas comuns / coisas a ter cuidado

Por vezes é difícil criar um mapa que seja fácil de entender e bem definido, e que apresente e explique todas as informações que o leitor precisa saber. Para conseguir isso, precisa criar uma organização e composição com todos os elementos do mapa. Deverá concentrar-se na história que quer contar com o seu mapa e como os elementos, tais como a legenda, barra de escala e como devem ser ordenados. Ao fazer isso, vai ter um mapa bem desenhado e educacional, que as pessoas gostariam de ver e serem capazes de entender.

9.11. O que aprendemos?

Vamos terminar o que abrangemos nesta ficha de trabalho

  • Fazer um mapa significa organizar os elementos do mapa numa folha de papel.

  • Os elementos do mapa são o título, o mapa, o limite do mapa, a legenda, a escala, a seta do norte e a informação complementar.

  • A escala representa a razão da distância no mapa com a distância real no terreno.

  • A escala é representada nas unidades do mapa (metros, pés ou graus)

  • Uma legenda explica todos os símbolos do mapa.

  • Um mapa deve explicar informação complexa de forma tão simples quanto possível.

  • Geralmente os mapas são representados com ‘orientação para Norte’.

9.12. Agora experimente!

Aqui estão algumas ideias para experimentar com os seus alunos

  • Carregue algumas camadas vetoriais no seu SIG para a sua área local. Veja se os seus alunos conseguem identificar exemplos de diferentes elementos da legenda tais como tipos de estrada ou edifícios. Crie uma lista dos elementos da legenda e defina o símbolo apropriado, para o que leitor possa perceber facilmente o seu significado no mapa.

  • Crie um layout de mapa com seus alunos em uma folha de papel. Decida sobre o título do mapa, quais as camadas SIG você deseja mostrar e quais cores e ícones serão usados no mapa. Use as técnicas que você aprendeu nos Tópicos Dado Vetorial e Dado de Atributo Vetorial para ajustar a simbologia de acordo com o necessário. Quando você tiver um modelo, abra o layout de impressão do QGIS e tente arranjar um layout do mapa conforme planejado.

9.13. Alguma coisa em que devemos pensar

Se não tem um computador disponível, pode utilizar qualquer mapa tolográfico e discutir a aparência do mapa com os seus alunos. Perceba se eles compreendem o que o mapa pretende dizer. O que pode ser melhorado? Com que precisão é que o mapa representa a história da área? Como é que um mapa de há 100 anos atrás difere do mesmo mapa atualmente?

9.14. Outras leituras

Livros:

  • Chang, Kang-Tsung (2006). Introduction to Geographic Information Systems. 3ª Edição. McGraw Hill. ISBN: 0070658986

  • DeMers, Michael N. (2005). Fundamentals of Geographic Information Systems. 3ª Edição. Wiley. ISBN: 9814126195

Website: Escala (mapa)

O Guia do Utilizador do QGIS também tem informações mais detalhadas sobre a produção de mapas no QGIS

9.15. O que vem a seguir?

Na área seguinte, teremos uma visão aproximada da análise de vetores para ver como podemos utilizar um SIG para mais do que apenas fazer mapas com uma boa aparência!